Text Size
   

Drogas: “Negócio em Família”

                                                         2006

 

    Sou daqueles que acham que não se deve viver preocupado com o futuro, pois acredito que, quem se preocupa muito com o que ainda por vir, termina não vivendo o presente. Porém, já há algum tempo, passei a me preocupar com o futuro da nossa nação.

A falta de caráter da maioria dos políticos brasileiros, a cultura do povo sempre cultivando a “lei de Gerson” (levar vantagem em tudo) e o mergulho de jovens, de todos as classes sociais, no terrível mundo do tóxico me levam refletir sobre o que poderá oferecer esse Brasil aos nossos filhos e netos.

Restava - me, porém, confiar em uma mudança, pois acreditava que um dia  os políticos fossem substituídos por outros realmente comprometidos com o destino da nação e do seu povo. Ocorreram mudanças sim, porém, apenas de nomes.

Nada de novo aconteceu. Pelo contrario, os escândalos continuam enchendo os noticiários da impressa brasileira e, o que é pior: o povo não reage. Assiste a tudo passivamente, ás vezes até fazendo piadas com o seu próprio sofrimento.

Acreditava também nas entidades religiosas. Afinal, evangélicos, católicos e demais cristãos pregam a paz e o respeito a seus semelhantes e a Deus. Mais uma decepção. Padres e pastores envolvidos com pedofilia e também utilizando a política para enganar os incautos. Que “bom” exemplo, não?

Acreditava no poder das famílias brasileiras em dar a volta por cima e tirar seus queridos do mundo das drogas que só oferece duas opções:a cadeias e o cemitério.

Aí me deparo com essa desestimulante manchete de um jornal da cidade:

“Dados da Delegacia e entorpecentes na Bahia revelam que sete,de cada dez traficantes, trabalham com parentes.

A prisão do mais famoso traficante de drogas do Estado, de uma professora, isso mesmo pro-fes-so-ra, de 42 anos,em Salvador e de uma família no interior do Estado, fez reacender nas hostes policias uma questão sabida entre os investidores, mas pouco combatida: a aliança de familiares na formação de quadrilhas de narcotráfico.

O famoso traficante foi preso com sua mulher, três irmãos dela, seu sogro, e primos, todos envolvido no maior movimento de drogas conhecido como “Império das drogas”. A professora foi presa, juntamente com seu filho de 20 anos. Ela estimulava e auxiliava seu único filho na venda de “crack”, uma das mais terríveis drogas no momento. E a família interiorana, capitaneada pela matriarca de 86 anos,foi detida em sua fazenda com uma tonelada de maconha. Ela e mais 51 integrantes da quadrilha (60% membros da família) formam ver o “sol nascer quadrado” e responder por esse horrendo crime .

Atônitos, como eu, os cidadãos de bem deste País ficam preocupados com o futuro da nação. Aonde vamos chegar dessa forma?

Não podemos continuar de braços cruzados. Estamos pagando caro por isso. A omissão tornar-nos-á coniventes, será nosso grande carrasco, e o tribunal das nossas mentes não nos absolverá.

Ainda há tempo.Vamos lutar por um país culto, mais educado, mais justo. Vamos deixar de lado essa mania de querer levar vantagem em tudo.Vamos ficar mais perto nossos filhos. Arranjemos tempo para isso antes que os traficantes os adotem.Vamos aprender a dizer NÃO para eles nos momentos em que achamos que temos que dizer. Vamos valorizar a família.

Vamos votar e ensinar a nossos filhos a votarem com mais consciência, pensando na coletividade e não naquele candidato que poderá nos beneficiar isoladamente.

Vamos nos aproximar de Deus e viver bem o presente. Ele é o nosso tempo

Só assim não iremos “pré-ocupar “nossas mentes com o futuro, ”que a DEUS pertence”, mas pelo qual temos que fazer nossa parte.

 

alt              

Busca no site