Text Size
   

SORRIA

2004

 

Quantas vezes, logo ao encontrar o seu primeiro interlocutor do dia, você ouve frases como “ai meu Deus, como é difícil essa vida”.

Também pudera. Aprendemos a ouvir durante toda nossa encarnação, que viemos ao mundo para passar por provas e expiações. “Filho, a Terra é um vale de lágrimas”, dizia equivocadamente, meu querido e saudoso pai.

É nesse mundo que vivemos, onde sempre colocaram em nossas mentes, que o sofrimento é o guia da nossa existência. E essa enxurrada de conceitos negativos que ganhamos a respeito da vida, fez opaco o cristal da alegria, de forma tal que perdemos com o passar do tempo, o viço brilhante da esperança, fazendo sumir a felicidade brotada diariamente em nós. Felicidade que não percebemos por estarmos fora da sintonia divina.

Agora chega. Precisamos reagir. Vamos para de apontar só o negativo e as tristezas.

As transformações ocorridas no Universo têm ensinado que devemos acordar desse estado de letargia e reagir.

Temos que parar de focar só os males do mundo. Mesmo que tenhamos uma dor nesse momento que pareça só nossa, que os outros não compreendam ou não se importem achando-a diminuta, vamos reagir.

Vamos experimentar parando tudo que estamos fazendo nesse momento. Vamos procurar ver como está o céu? É dia claro? A noite é de estrelas? E as formas das nuvens? Já nos demos conta de que elas têm forma? Não vamos achar isso ridículo, nem perda de tempo. Ao contrário. É terapêutico.

Deixemos que “nossas crianças” se permitam aos seus inocentes devaneios.

Elas estão sufocadas, desejando novamente se encantar com a vida. Vamos sentar no chão, brincar com nossos filhos, brincar com água, com a areia, viver, nem que seja momentaneamente, livre das tensões e das pressões.

Vamos olhar em volta de nós mesmos. Lembrar das nossas conquistas e satisfações pessoais obtidas ao longo da nossa existência.

Vamos agradecer ao nosso Deus por tudo que temos, mesmo que seja pouco. Vamos agradecer pelo que ainda haveremos de ter. Afinal, para o nosso criador, só há lugar para o bem e para o otimismo. Vamos transformar o mau humor em salutar descontração. É possível. Basta querermos.

E os inoportunos, irritadores da nossa paz? Vamos ter a compreensão tolerante. São enfermos da alma, de corações desamados, necessitando de ajuda.

Vamos redescobrir nas mínimas coisas a alegria de habitar nesse mundo. As dores continuarão existindo, mas as encararemos com outra disposição. Não vamos mais perder as oportunidades surgidas. Elas passam, não retornam. O tempo passa nada voltará a acontecer da mesma forma. Então vamos aproveitar os bons momentos. Eles existem e sempre existirão.

“Sorria, nem que seja um sorriso triste, pois mais triste do que um sorriso triste é a tristeza de não saber sorrir”

Não deixemos de sorrir, vamos cantarolar aquela música que nos agrada. Vamos viver a vida intensamente.alt

Busca no site